Arquivo | Setembro, 2013
Imagem

CARNIDE EM FESTA

23 Set

No mês de setembro decorrem as solenidades, festa e feira de Nossa Senhora da Luz. Durante quase um mês há barraquinhas com farturas, petiscos, artesanato e peças utilitárias para casa e jardim. Para lá destes atrativos encontramos, para o aconchego do corpo cerca de 20 restaurantes na zona histórica e proximidades.

Para deleite do espírito e do conhecimento, Carnide tem cerca de 40 bens classificados ou em vias de classificação de interesse municipal. A Igreja de Nossa Senhora da Luz e as marcas da sepultura da infanta d. Maria são bens de interesse nacional. 

A infanta filha de d. Manuel I  foi considerada a mais bela da Europa de então (Séc.XVI/XVII). Camões cantou a paixão e as desilusões do amor platónico por d. Maria em sonetos e redondilhas. A história amorosa liga-se, pois, a Carnide, onde a infanta repousa. O poeta dos Lusíadas terá frequentado Carnide para, à distância, apreciar a beleza do amor proibido quando a infanta vinha verificar o andamento das obras da Luz por si patrocinadas.
Descendo ao Metropolitano e envolvência, as duas Estações de Carnide oferecem-nos a beleza de centenas de expressões plásticas de José de Guimarães (Estação “Carnide”) e de Manuel Cargaleiro (Estação “Colégio Militar/Luz”). As temáticas são, grosso-modo, relacionadas com a “carne, tentação, luz e cultura”.
Quem quiser adquirir  e enviar, por via postal, uma lembrança para memória, encontrará em Carnide a Estação Postal do Colombo (no Centro Comercial) e os Postos de Correio: um no Bairro da Quinta da Luz, outro na Rua da Fonte/Largo da Praça e outro ainda no Centro Cultural de Carnide,  Bairro Padre Cruz.
A história de Carnide/Luz, inspirou-nos os dois versículos seguintes do profeta Isaías: “[…] Se tirares da tua casa toda a opressão, o gesto ameaçador e o falar ofensivo; Se deres pão ao faminto, e saciares a alma do pobre, a tua LUZ brilhará na escuridão, e as tuas trevas tornar-se-ão como o meio-dia”  (Isaías 58, 9-10). [As capitais em LUZ são nossas].
No escudo do brasão de Carnide encontramos a flor-de-lis e uma cântara, dois pimenteiros e uma barretina que caracterizam as raízes históricas da freguesia, outrora termo rural de Lisboa, localidade de culto ao Espírito Santo do século XIII a XVII aproximadamente, substituído pelo de Nossa Senhora da Luz. 
O mês de Setembro é o mais animado com a festa/feira. Pelo Natal e junho, as coletividades, escolas e junta de freguesia esmeram-se em atividades de decoração e animação nas marchas populares. Às quintas-feiras podemos fruir do programa ao vivo e televisivo “viva a música” (antena 1) com a apresentação de Armando Carvalheda no Teatro / Largo da Luz.
Carnide continua a sua vocação de restauração, animação e festa.